PUBLICIDADE

ISPs tenham cuidado com os termos de uso do Microsoft SQL Server Web Edition

A AbraHosting (Associação Brasileira das Empresas de Infraestrutura, Cloud e Serviços na Internet) está orientando seus associados a observar com o máximo cuidado os termos de uso da ferramenta da Microsoft SQL Server Web Edition. Nos últimos meses, a associação recebeu informações de alguns provedores associados que utilizaram esta plataforma em serviços prestados a clientes e que tiveram de arcar com prejuízos após auditoria de uso realizada pela Microsoft.

Esta versão para Web do SQL Server Edition, explica a AbraHosting, chega a custar até 17 vezes menos que uma versão Core Standard. Mas, em seus termos contratuais, estão permitidas apenas aplicações de acesso público à Internet e vetadas todas as formas de uso do sistema para aplicações de negócios que envolvam algum tipo de login de cliente. Este é o caso, por exemplo, de sites de comércio eletrônico, serviços de CRM, aplicações de ERP, EAD, SaaS e relacionamento privado com clientes pré-cadastrados.

"A maior parte dos problemas relatados pelos provedores refere-se a uso irregular (embora quase sempre não intencional) realizado por clientes finais de serviços de infraestrutura (compartilhada ou em nuvem), que vinha acontecendo sem o conhecimento do provedor", afirma Luis Carlos dos Anjos, Presidente da AbraHosting.

Segundo ele, até muito recentemente, esse tipo de ocorrência não havia chamado a atenção do setor, mas, a partir deste ano, um grupo de associados reportou solicitações de auditoria mais frequentes por parte da Microsoft.

Após esse tipo de auditoria, a Microsoft pode exigir do provedor um pagamento adicional, que será bem mais alto do que o valor cobrado pelo provedor ao seu cliente, em caso de uso fora das cláusulas de permissão.

Depois de debater a situação, a diretoria da AbraHosting recomenda que os provedores façam um ajuste fino em suas políticas de uso do sistema SQL Server Web Edition e realizem estudos comparativos com alternativas de software para viabilizar financeiramente a oferta, aos clientes finais, de serviços não permitidos pelos termos de uso do sistema SQL Server Web Edition.

"Recomendamos aos associados que comuniquem claramente a seus clientes de serviços para que observem as cláusulas restritivas do SQL Server Web Edition e atestem estar cientes das limitações e consequências de uso irregular estipuladas pela Microsoft", conclui o presidente da AbraHosting.



APOIO